UMA REFLEXÃO SOBRE DUALISMO ENTRE O BEM E O MAL E A SOBERANIA DE DEUS

LEITURA BÍBLICA: 1 Reis 18:21-39

Então Elias se chegou a todo o povo, e disse: Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-o, e se Baal, segui-o. Porém o povo nada lhe respondeu. Então disse Elias ao povo: Só eu fiquei por profeta do Senhor, e os profetas de Baal são quatrocentos e cinqüenta homens. Dêem-se-nos, pois, dois bezerros, e eles escolham para si um dos bezerros, e o dividam em pedaços, e o ponham sobre a lenha, porém não lhe coloquem fogo, e eu prepararei o outro bezerro, e o porei sobre a lenha, e não lhe colocarei fogo. Então invocai o nome do vosso deus, e eu invocarei o nome do Senhor; e há de ser que o deus que responder por meio de fogo esse será Deus. E todo o povo respondeu, dizendo: É boa esta palavra. E disse Elias aos profetas de Baal: Escolhei para vós um dos bezerros, e preparai-o primeiro, porque sois muitos, e invocai o nome do vosso deus, e não lhe ponhais fogo. E tomaram o bezerro que lhes dera, e o prepararam; e invocaram o nome de Baal, desde a manhã até ao meio-dia, dizendo: Ah! Baal, responde-nos! Porém nem havia voz, nem quem respondesse; e saltavam sobre o altar que tinham feito. E sucedeu que ao meio-dia Elias zombava deles e dizia: Clamai em altas vozes, porque ele é um deus; pode ser que esteja falando, ou que tenha alguma coisa que fazer, ou que intente alguma viagem; talvez esteja dormindo, e despertará. E eles clamavam em altas vozes, e se retalhavam com facas e com lancetas, conforme ao seu costume, até derramarem sangue sobre si. E sucedeu que, passado o meio-dia, profetizaram eles, até a hora de se oferecer o sacrifício da tarde; porém não houve voz, nem resposta, nem atenção alguma. Então Elias disse a todo o povo: Chegai-vos a mim. E todo o povo se chegou a ele; e restaurou o altar do Senhor, que estava quebrado. E Elias tomou doze pedras, conforme ao número das tribos dos filhos de Jacó, ao qual veio a palavra do Senhor, dizendo: Israel será o teu nome. E com aquelas pedras edificou o altar em nome do Senhor; depois fez um rego em redor do altar, segundo a largura de duas medidas de semente. Então armou a lenha, e dividiu o bezerro em pedaços, e o pôs sobre a lenha. E disse: Enchei de água quatro cântaros, e derramai-a sobre o holocausto e sobre a lenha. E disse: Fazei-o segunda vez; e o fizeram segunda vez. Disse ainda: Fazei-o terceira vez; e o fizeram terceira vez; De maneira que a água corria ao redor do altar; e até o rego ele encheu de água. Sucedeu que, no momento de ser oferecido o sacrifício da tarde, o profeta Elias se aproximou, e disse: Ó Senhor Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, manifeste-se hoje que tu és Deus em Israel, e que eu sou teu servo, e que conforme à tua palavra fiz todas estas coisas. Responde-me, Senhor, responde-me, para que este povo conheça que tu és o Senhor Deus, e que tu fizeste voltar o seu coração. Então caiu fogo do Senhor, e consumiu o holocausto, e a lenha, e as pedras, e o pó, e ainda lambeu a água que estava no rego. O que vendo todo o povo, caíram sobre os seus rostos, e disseram: Só o Senhor é Deus! Só o Senhor é Deus!


DEUS ENTRA EM DISPUTA COM O DIABO?

Meus queridos, não obstante ser um texto conhecido dos leitores da bíblia faz-se necessário refletirmos sobre esta passagem a fim de extrairmos duas lições importantes para nossa caminhada cristã. Precisamos pensar um pouco sobre este acontecimento. Ser cristão também é “pensar”. Muita gente pensa que cristianismo é só sentimento, mas é raciocinar também. Na realidade a fé genuína é baseada em raciocínio e não em uma sedução. Espero que você se proponha a refletir e estudar mais sobre esta reflexão. Talvez eu não tenha respostas fáceis e prontas para os leitores. Mas me proponho a desperta-los a refletir e estudar mais sobre o assunto.

A primeira lição que eu quero extrair deste texto é o aparente embate que aconteceu entre o profeta Elias e os profetas de Baal. Olhando de súbito para o texto podemos até achar que houve uma disputa, uma guerra entre deuses. Mas não foi isso que aconteceu.

Quero iniciar confrontando o pensamento dualista que leva as pessoas a acharem que existem duas forças espirituais antagônicas, independentes que se confrontam: De um lado o inimigo de nossas almas e do outro lado o Deus todo poderoso. Muitos trazem esse pensamento para o contexto da liturgia dos cultos como se houvesse um ringue de disputa entre o Espírito Santo e os demônios, como se houvesse uma especulação acerca de quem é que vai ganhar e quem é que vai perder. Se nós não tivermos cuidado, poderemos cair na armadilha de acharmos que no mundo há essas duas forças que se digladiam entre si como se o inimigo fosse estragando tudo e Deus viesse atrás concertando os estragos. Ou como se existisse uma briga entre gato e rato: como se um fosse a caça e o outro o caçador.

Muito embora a bíblia nos mostre que há um conflito do mal. No capítulo 6 de Efésios que a nossa luta não é contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Não quero ignorar os ardis do inimigo, as mazelas que estão instaladas neste mundo. I João 5.19 nos mostra que o mundo está no maligno. Ainda assim não podemos concordar que existe esta disputa de que um lado está o inimigo e que do outro lado está Deus, que uma hora um perde e o outro ganha, ou que em outra hora há um equilíbrio. Não é assim! Nosso Deus não entra em briga com o inimigo. Não podemos montar um ringue e colocar Deus em uma disputa com o diabo. Deus não entra nisso. O que existe é uma rebelião do inimigo contra Deus, contra as coisas divinas. Desde o princípio o diabo se rebelou contra Deus. Mas desde o princípio Deus não teve nenhuma dificuldade em tratar com o diabo.

Através da mídia, por exemplo, o diabo quer nos levar a acreditar que tudo está um caos, que tudo está errado, que o mal domina, que o engano domina, que a corrupção e imoralidade domina. Mas este engano precisa ser desmascarado! Isaias teve uma visão do trono de Deus em que os serafins voavam dizendo: Santo, Santo, Santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória (Isaías 6:3). O interessante é que os serafins adoravam a Deus e diziam que a terra está cheia da Sua glória. Eles poderiam estar dizendo que o céus estão cheios da gloria de Deus. Sim! Os céus também estão. Mas o que Isaías viu e ouviu foi os anjos de Deus adorando e dizendo que a terra estava cheia da Glória dEle!

Não podemos montar um ringue e colocar Deus em uma disputa com o diabo. Deus não entra nisso.

Não podemos montar um ringue e colocar Deus em uma disputa com o diabo. Deus não entra nisso.

Deus nem sequer nunca foi ameaçado. Deus continua no controle, Deus não está numa queda de braço com o inimigo. O inimigo não é uma ameaça para o nosso Deus. Nós estamos numa luta sim contra o inimigo mas não pra ver quem é que vai ganhar ou perder. Jesus já venceu todas as coisas! Alguém pode então perguntar: Se Deus está no controle de tudo, porque é que Ele não dá um basta no mal?

Devemos raciocinar sobre esta indagação como cristãos pensantes e não como alguns que ao serem confrontados até inventam línguas estranhas a fim de sair pela tangente. Cristão verdadeiro não ilude e não faz uso de lavagem cerebral, o cristão verdadeiro sabe e conhece aquilo que acredita e mantém seu entendimento renovado (Romanos 12:2).

Antes de tudo quero lhe lembrar que tudo o que o diabo faz não é legítimo porque ele está inserido em um processo de rebelião. Por mais que se queira justificar uma rebelião, não há nenhuma legitimidade nisso. Portanto não devemos nos preocupar ao ponto de achar que a verdade se perderá, que a igreja se extinguirá, que a santidade vai deixar de existir, que a justiça e o amor se acabarão. Algumas coisas fazem parte da natureza divina e Deus é eterno. Portanto o que deixará de existir é tudo o que não é legítimo. Mas aquilo que faz parte da natureza de Deus jamais deixará de existir. A verdade, a justiça, a santidade, o amor nunca passarão! Muitas pessoas chegam a admirar a força e as mazelas do inimigo achando que ele é forte demais, achando que ele é grande coisa. Mas o cristão autentico é admirador do Senhor Jesus Cristo! Quero ressaltar aqui as proezas feitas por Deus no Egito ao libertar Seu povo. Moisés chegou a se atemorizar ao ser convocado por Deus pra essa tarefa. Mas Deus lhe mandou dizer que o “Eu sou” o havia enviado. Ao chegar no Egito, muitas proezas realizadas através das mãos de Deus foram repetidas pelos magos de Faraó, mas até certo ponto (Leia Êxodo, capítulos 7 e 8).

Faço uso de uma comparação a fim de esclarecer essa questão, apesar que toda comparação ou ilustração se torna pobre ao ser usada para tratar das coisas de Deus. Pense em um sequestrador que toma um refém em um ato de crime. Ele toma vítima e a aprisiona para fazer mal e para usar o refém de escudo. Mas em alguns casos a vítima passa para um estado psicológico particular, submetida a um tempo prolongado de intimidação, de ter simpatia e até mesmo sentimento de amor ou amizade perante o seu agressor. Isso é chamado de Síndrome de Estocolmo. É assim que muitas vezes acontece no mundo espiritual: o homem passa a amar o o diabo e as coisas que ele oferece mesmo sabendo que seu sequestrador está ali para roubar, matar e destruir (João 10.10). Sinceramente quando uma pessoa se afasta de Deus depois de ter sido resgatada e salva por Cristo e volta para as mãos do Diabo comete um ato de loucura. Por isso não existe ninguém que se afasta da igreja que faz bom negócio, por qualquer que seja o motivo alegado. Esta pessoa está se colocando a mercê de um sequestrador que só vai lhe causar dano.

A Segunda lição que eu gostaria de extrair sobre o acontecimento entre os profetas de Baal e Elias: Existe muita gente com pressa de fazer e pouca preocupação em preparar.

Chega a ser comovedor imaginar o comportamento dos profetas de Baal ao implorarem por alguma manifestação do seu deus. Gritaram, se cortaram, fizeram a maior balbúrdia e nada aconteceu. Já Elias preparou o altar cuidadosamente antes de clamar a Deus. Elias não copiou o modelo dos profetas de Baal, ele fez de forma diferente. É maravilhoso perceber a diferença do homem que anda com Deus e do homem que não anda. Muitas denominações estão aderindo às praticas dos baalins. Eles entendem que para que haja o mover de Deus é preciso haver um “tropé”, que é preciso que haja gritaria, que é preciso haver uma verdadeira balbúrdia. Vemos muitas pessoas “caindo no poder” achando que isso é manifestação de Deus. Eu vejo na bíblia que as pessoas que caíram pelo poder de Deus, foram pessoas que caíram para frente e prostradas. Diferente de muitos movimentos onde vemos pessoas caindo para trás. Existem coisas que vêem de Deus, outras que vêem do inimigo e outras que são puramente humanas. Movimentos que enfatizam o cair no poder, ou o conhecido aviãozinho, helicóptero, pessoas subindo no banco, pulando pra lá e pra cá não são nada mais que manifestações semelhantes às do altar de Baal.

Vamos seguir o exemplo de Elias que, sem balbúrdia, orou a Deus e reconheceu sua soberania. Elias era um homem que andava com Deus e não fez uso de malabarismos para atrair a atenção do verdadeiro Deus. Nós servimos ao Deus verdadeiro e que responde as nossas orações. E ainda bem que Ele não responde somente as orações de pastores, mas também a oração de qualquer pessoa que se submete à Sua vontade. É admirável a segurança que Elias tinha em Deus, ele simplesmente elevou sua voz a Deus e pediu que o Senhor respondesse com fogo para que o povo soubesse quem era o Deus verdadeiro. Não houve nenhum tipo de manipulação ou estardalhaço. O resultado foi o reconhecimento e o louvor para Deus. Veja que quando as coisas são de Deus a glória volta para Ele e não vai para o engrandecimento de homens.

Que Deus abençoe a sua vida!

Pr. Nilton Francisco Benedito

(este texto foi extraído do sermão pregado pelo Pr. Nilton no dia 17 de abril de 2015 no templo sede da AD Hortolândia)

Uma resposta para “UMA REFLEXÃO SOBRE DUALISMO ENTRE O BEM E O MAL E A SOBERANIA DE DEUS”

  1. Gil Junior disse:

    Louvado seja o Deus todo Poderoso, Onisciente, onipotente, Onipresente, Eternamente Deus, que inunda as nossas vidas de graça e de verdade capacitando-nos para vencermos este mundo. Muito obrigado pr. Nilton por se colocar na brecha do cuidado com os jovens da AD Hortolândia. Igreja que não pude participar do nascimento, mas que está sendo conduzida com acerto pelo caminho da maturidade cristã. A DEUS TODA A GLÓRIA!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *