Billy Graham, pregador de milhões, conselheiro de presidentes dos EUA e da Soberana Elisabeth II, morre aos 99 anos

O evangelista norte-americano Pastor Dr. Billy Graham, que pregou a milhões de pessoas, desde a Carolina do Norte até à Coreia do Norte, e foi conselheiro de vários presidentes dos EUA e da Rainha da Inglaterra, morreu esta quarta-feira, aos 99 anos. No seu auge, o estilo e retórica esmagadora e a forma rápida de falar valeram-lhe a alcunha de “a metralhadora de Deus”.

Graham morreu às 8:00 da manhã (13:00 GMT) na sua casa em Montreat, Carolina do Norte, anunciou Jeremy Blume, porta-voz da Billy Graham Evangelistic Association.

William Franklin Graham nasceu a 7 de novembro de 1918, numa família presbiteriana que vivia numa quinta perto de Charlotte, na Carolina do Norte. Segundo as suas próprias palavras, na adolescência estava mais preocupado com a juventude e basebol, até ouvir um sermão que o levou até Deus. Foi ordenado em 1939 numa igreja batista, quatro anos antes de casar com Ruth Bell, filha de missionários que tinham estado na China. E pouco tempo depois lançou-se à estrada, pregando em tendas, a congregações e multidões cada vez maiores. Décadas depois encheu estádios, de Nova Iorque a Wembley, em Londres, passando mesmo pela Coreia do Norte, nos anos 70 do século passado.

Billy Graham ministra a palavra de Deus em uma Cruzada Evangelística em 1974 no Estádio do Maracanã no Rio de janeiro – (ARQUIVO ESTADO RJ)

Com os seus traços duros e olhos azuis penetrantes, Graham ganhou popularidade no púlpito, onde aparecia como uma figura poderosa, andando pelo palco e erguendo uma Bíblia ao declarar Jesus Cristo como a única solução para os problemas da humanidade. De acordo com a sua associação, Graham foi o pregador que chegou a mais pessoas na história da humanidade, atingindo dezenas de milhões em pessoa ou através da televisão.

Acabou também por desempenhar as funções de capelão na Casa Branca para vários presidentes, nomeadamente para Nixon. “Foi provavelmente o líder religioso mais importante do seu tempo”, comentou William Martin, autor da biografia A Prophet With Honor: The Billy Graham Story, citado pela Reuters. “Não terá havido mais do que uns dois papas, ou talvez uma ou duas outras pessoas, que se tenham aproximado do que ele conseguiu.

No seu 95º aniversário, em 2013, Graham juntou 800 convidados, incluindo o atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Sua influência na Casa branca começou ainda durante a presidência de Harry Truman, com que se reuniu várias vezes.

Billy Graham e se filho Frankllin se encontram com Presidente Barack Obama –  (Pintrest)

A forma como Graham utilizou os meios de comunicação ao seus dispor foi pioneira: além da rádios e imprensa, o evangelista espalhou a sua mensagem através de linhas telefónicas e televisão, chegando a casas, igrejas, cinemas e estádios um pouco por todo o mundo. Às suas campanhas, o pregador chamava “cruzadas“.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, escreveu na rede social twitter que “não havia ninguém” como Billy Graham. “Ele fará falta aos cristãos e a todas as religiões. Um homem muito especial“, considerou Donald Trump.

 

Reprodução

Bill Trott – Agência Reuters (Londres)

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *